terça-feira, 31 de janeiro de 2012

SANDRA DE SÁ DECLARA: MANGUEIRENSE, NO FUNDO, TODO MUNDO É UM POUCO E QUEM NÃO É TEM INVEJA!


Sandra é flamenguista e assumiu, publicamente, a sua “bigamia” no caso de amor de cores verde e rosa e azul e branco, no Dvd Africanatividade; o registro desse momento é o encontro das baterias da Mangueira e da Caprichosos de Pilares que tocaram juntas. Quando lhe foi perguntado sobre a emoção da homenagem no Cacique de Ramos ela declarou:

Sandra de Sá sendo homenageada no Cacique de Ramos

“Eu acho que eu mereço, sofri muito quando era criança por eu amava o bloco do Cacique, mas naquela época não tinha idade para freqüentar. Para me consolar, minha mãe me fantasiava de índio com as cores do bloco, quando desfilavam, eu saía atrás com minha roupa e me sentia... Cacique é uma paixão antiga, passei a freqüentar a quadra e guardo lembranças de todos os carnavais, todos são marcantes. Até crescer de verdade, levava um caixote com meus primos para ver o desfile. Para mim, consciência negra é ter auto estima, deixar o segurador de onda ligado na hora que quiser”

 
A cantora não escondeu sua emoção com as expectativas para o carnaval e disparou: 
    
 Mangueirense, no fundo, todo mundo é um pouco e quem não é tem inveja. Na minha família tem uma facção que torce pelo Império Serrano, onde também vou desfilar, por que quero prestigiar Dona Ivone Lara. Na verde e rosa acho que o enredo e o samba estão perfeitos, está tudo lindo!

É AMANHÃO NÃO PERCAM


 

AMANHÃ TAMBÉM TEM A VOLTA DO JOGO QUE VAI VIRAR MANIA "CARNAVAPOLYS" NÃO PERCAM NA COMUNIDADE DO BLOG NO ORKUT .

Patrocinador explica ações de marketing com a Porto da Pedra no período carnavalesco




Na tarde desta terça-feira, representantes da Danone e também da Unidos do Porto da Pedra, receberam jornalistas em Santa Teresa. Na ocasião foram mostradas as ações que a empresa fará na agremiação durante o período carnavalesco. A empresa que é de um grupo francês começou sua criação em Barcelona em 1919. No mercado há 93 anos com a missão de levar saúde e nutrição ao maior número de pessoas todos os dias, entra no carnaval pela primeira vez.
Gerente de Marketing da Danone, Rafel Ribeiro, conversou com a imprensa ao longo do almoço e pôde explicar melhor sobre o funcionamento das ações de marketing da empresa junto com a escola dentro e fora do Sambódromo como contar um pouco da história do iogurte através do Porto da Pedra que é uma comunidade de samba lá de São Gonçalo e que nos receberam super bem. Mostrar aos brasileiros os beneficios do iogurte e se aproximar do consumidor
- A ideia é que a Porto da Pedra conte os beneficios do iogurte na Sapucaí, e nós junto com a Danone vamos levar coisas inovadoras, como um aplicativo para celular. As pessoas entram no site (www.carnavaldanone.com.br), baixam esse aplicativo que é para smartphones, e entram em contato com os produtos que a Danone vai lançar que será uma série limitada do carnaval como garrafas de Dan up, Activia e danoninho. Através desse aplicativo as pessoas vão ter uma interação com o carnaval onde os carros alegóricos saem da garrafa, confetes que pulam entre outros.
Além de ajudar no carnaval, a empresa também está atuando em projetos sociais da escola, como o Institututo Abraço do Tigre, e com isso respeitando as obras da Danone que é levar saúde e nutrição para o maior número de pessoas, e esse trabalho explica o que é uma dieta saudável e também conta com um programa de trabalho e renda que visa formar profissionais para o mercado.
 

O diretor explicou sobre possíveis tentativas da empresa em outrasagremiações e por que fechou com a escola de São Gonçalo:
- A gente entende muito de iogurte e nada de samba(risos), nós sabemos fazer filmes de Tv. A empresa é a maior anunciante de alimentos do país, e entrar no carnaval sabíamos que não seria fácil, até por que precisamos respeitar algumas regras. Então nós visitamos sim outras escolas mas no objetivo de entender como era o funcionamento do carnaval, e aí sim, ver com os parceiros se eles respeitavam os valores que a gente tanto queria que não era componente, localização, a posição do último carnaval, nada disso, e sim a presença da família, como pessoas ativas na escola. Então a Porto da pedra revelou todas essas características, além de um administração profisional. Eles reuniram tudo que a gente queria. Por isso nós os escolhemos.
A intenção da empresa é atuar nos dias de folia dentro do Sambódromo e as conversas em conjunto a Liesa já estão bem encaminhadas:
- O carnaval é feito de surpresas, inclusive o que faremos no Sambódrmo que será muito diferente. Estamos em contato com a Liesa para que possamos fazer coisas inovadores e entreter o público entre uma escola e outra. O que posso adiantar é que teremos produtos e degustação. Imagina os desfiles duram quase 10 horas, as pessoas precisam de energia. Estamos negociando se vamos colocar em toda a extensão da Sapucaí, nós queremos atuar em tudo porém depende da logística.
O presidente da agremiação, Francisco Marins, falou a imprensa sobre a parceria com a Danone, e que espera dar prosseguimento para os próximos anos:
- A nossa ideia é que a Danone continue como nossa parceira, até porque o investimento não é só no carnaval, nós temos alguns projetos de marketing da escola que são interessantes e penso em organizar uma escola de negócias e assim manter a imagem da agremiação no mercado e quem sabe nesse projeto a Danone possa estar conosco. Hoje eles já nos conhecem, e sabe como é a nossa cultura.
Sobre o desabafo que fez no primeiro ensaio técnico realizado pela agremiação no Sambódomo, o presidente disse que precisava fazer isso para mexer com seus componentes e que as críticas são bem vindas quando as pessoas conhecem o trabalho que está sendo feito:
- Eu falei mesmo com muita emoção, isso serve para mexer com nossos componentes e falei que não quero ninguém apenas desfilando, e sim, conto com a ajuda deles para mudar a história da escola. Em segundo lugar tem desabafo sim, estamos abertos às críticas, porém as pessoas tem que conhecer primeiro para depois falar. É muita maldade fazer algum tipo de comentário em veículos de comunicação, sem se aprofundar, sem conhecer e saber o que vamos fazer. Eu precisava fazer aquilo naquele momento, os componentes precisavam escutar para podermos mostrar o que realmente é a Porto da Pedra.
A Porto da Pedra que desfilou pela primeira vez na Sapucaí em 1996 e desde 2002 está figurando no grupo especial vai levar para a Avenida o enredo “ Da Seiva Materna ao Equelíbrio da Vida” que será desenvolvido pelo carnavalescojaime Cezário. A escola será a quinta a desfilar no domingo de carnaval.
 

Antonio Pedro prefere analisar melhor caso de desnivelamento do Sambódromo



Durante entrevista coletiva concedida na manhã desta sexta-feira, no Centro de Operações da Prefeitura, na Cidade Nova, o secretário de turismo da cidade do Rio de Janeiro, Antonio Pedro Figueira de Mello, afirmou que ainda não sabe se atenderá o pedido de nivelamento de um trecho da pista do Sambódromo, feito pelo carnavalesco Paulo Barros. O presidente da Riotur preferiu adotar a cautela, mas disse que irá analisar, em conjunto com pessoas capacitadas para isso, se de fato há desnivelamento em frente ao setor 2.

De acordo com matéria publicada no Jornal O Globo, a Unidos da Tijuca teria tomado conhecimento do desnivelamento e, através de seu carnavalesco, Paulo Barros, pediu uma reunião com Antonio Pedro. O secretário confirmou a reunião e revelou que foi informado de um desnivelamento de 45 centímetros em frente ao setor 2, erguido recentemente.

- O piso da Sapucaí teve somente um recapeamento asfáltico. Se existe algum desnível, esse desnível já existia antes. Nós não precisamos mexer em nenhuma tubulação embaixo da pista, então é óbvio que o recapeamento seguiu o padrão existente anteriormente. Estamos falando de um carnavalesco, não de vários. Ele terá um carro com água. O Paulo é um gênio. No ano passado ele já havia feito isso e este ano virá com muito mais água. Não descarto ter que mexer. Tive uma reunião com ele ontem, mas não sei se o problema é da pista ou do carro dele, que é muito grande. Ás vezes, se tem vontade de fazer coisas cada vez maiores, faz parte da função dele e está dentro da nossa função proporcionar o máximo de estrutura possível, mas vamos olhar primeiro com as pessoas capacitadas para isso – esclareceu Antonio Pedro, sem definir data para resolução da questão.

Outro problema que pode surgir no Carnaval 2012 é qual o caminho adotado pelas escolas para levarem suas alegorias para a Avenida. A Rua Camerino e a Avenida Venezuela, vias utilizadas pelas escolas para tal finalidade, encontram-se em obras do Projeto Porto Maravilha. Antonio Pedro disse que a responsabilidade pelo roteiro é das escolas e das entidades.

- A Liesa e todas as escolas de samba estão cientes de todas as ruas que estão fechadas. Tenho certeza que eles olharam e vão nos passar o melhor caminho – resumiu ele.

Durante a coletiva, além de apresentar todo o projeto operacional do pré-carnaval e do carnaval de rua em 2012, o secretário de turismo apresentou uma novidade no monitoramento da cidade por parte dos órgãos públicos. Trata-se de um dirigível equipado com câmera e guiado por controle remoto.

- É um dirigível de gás hélio. Então não há qualquer risco de explosão. Mesmo que perca o contato com o controle remoto, ele desce devagar, não oferece risco para as pessoas. Ele flutuará e pegará imagens de cima. Nos ajudará muito no trânsito, nos blocos e com os mijões. Ele deverá ser usado nos dez principais blocos da cidade.

A estimativa é que entre três e quatro milhões de turistas visitem o Rio de Janeiro durante o carnaval. A arrecadação esperada é de dois bilhões de dólares, de acordo com Antonio Pedro, que mais uma vez aproveitou para exaltar o sucesso do carnaval de rua carioca. Como fato negativo, o secretário apontou a persistente falta de educação de alguns foliões. Para se ter ideia, no ano passado, cerca de 30% dos banheiros químicos foram depredados. Para 2012, serão 15.000 banheiros e a fiscalização promete ser ainda maior.

Para facilitar o acessos dos foliões aos banheiros, foram criadas ilhas nos trajetos dos blocos. Nessas ilhas, vários banheiros estarão sinalizados e a entrada nas ilhas será organizada pelos agentes da Secretaria de Ordem Pública. Ao todo serão 576 blocos espalhados pela cidade do Rio de Janeiro. O primeiro grande desfile acontece no próximo sábado, quando a Banda de Ipanema desfila a partir das 14h.

Também participaram da coletiva representantes de diversos órgãos e secretarias responsáveis pela organização do carnaval de rua. Entre eles, a polícia militar e a guarda municipal. O secretário de turismo respondeu sobre a possível greve dos agentes de segurança pública, que deve ocorrer no dia 10 de fevereiro, data do primeiro desfile do Cordão da Bola Preta.

- Naturalmente impacta. Espero que as forças de segurança tenham a sensibilidade da percepção do evento que é o carnaval. O serviço de segurança pública não é um serviço que permita greves a qualquer momento. É um momento em que precisamos de todos os agentes. Óbvio que todas as questões dos policiais e bombeiros precisam ser revistas, mas o carnaval é o maior evento do nosso calendário.

Paulo Menezes explica como fará para sintetizar na Portela as muitas manifestações da Bahia





Um dos desfiles mais esperados do Carnaval 2012 é, sem dúvida, o da Portela. A grande repercussão de seu samba influenciou até mesmo na outrora conturbada relação da fanática torcida portelense com a diretoria da escola. Entre as esperanças da Azul e Branco para voltar definitivamente ao posto de bicho-papão de títulos, está a figura do talentosos carnavalesco Paulo Menezes, que falou um pouco mais sobre o desenvolvimento do enredo sobre a Bahia.

- Vamos falar da Bahia inteira. As festas, não só as religiosas, mas todos os tipos de festividade. Vamos tentar mostrar a maneira que o baiano demonstra a sua alegria e o seu modo de confraternizar – resumiu ele.

Paulo lembrou também a imensa quantidade de festas do estado baiano. Algumas, segundo ele, eram de seu próprio desconhecimento. A maneira encontrada para sintetizar tudo isso foi agrupar as festas por características.

- Tem festa de purificação, de lavagem, outras voltadas para a água, festas africanas, católicas, populares, o carnaval. Procurei setorizar tudo para mostrar um trabalho mais amplo possível. Fui à Bahia. O trabalho de pesquisa para mim é fácil. Sou formado em história e é um prazer fazer isso. Não trabalho com pesquisador. É uma opção minha. A pesquisa me dá novas possibilidades, novos caminhos. Se eu encomendar uma pesquisa, de repente me dão algo pasteurizado e eu não teria com descobrir esses caminhos naturais. O produto final do enredo sempre é um pouco diferente do que você planejou inicialmente. Acaba ficando até mais legal – afirmou Paulo Menezes.

A Portela será a segunda escola a desfilar, antes da Imperatriz Leopoldinense, que também trará um tema cheio de baianidade. A agremiação de Ramos falará de Jorge Amado e suas relações com a cultura baiana. A proximidade das duas escolas na ordem de desfile não preocupa Paulo Menezes, que também citou o fato de apontarem mais um enredo da Bahia como algo repetitivo.

- Vários enredos já passaram repetidamente pela Avenida e acho que tudo tem o seu momento. A minha Bahia é a minha visão num momento determinado. Se eu for falar de Bahia daqui a dois anos vou ter outra visão. É normal. Nós vamos amadurecendo, evoluindo o pensamento. Cada carnaval é diferente e cada carnavalesco vê o seu tema de uma maneira. Se eu for ficar preocupado com isso, não trabalho. O Nordeste é muito rico. Cultura, folclore e música, tudo isso é muito forte lá. É uma gama de cores muito forte que o carnavalesco consegue trabalhar. Sinceramente, não considero nada repetitivo falar do Nordeste. Que passe cada vez mais enredos assim, valorizando a cultura desse povo. Vejo isso como uma valorização e uma afirmação dessa importante região do Brasil.

Um mérito inegável de Paulo Menezes na preparação deste carnaval é a confecção da sinopse. O texto começou a dar vida ao grande samba, principal trunfo da Portela para este ano. Os próprios compositores da obra apontam a sinopse feita pelo carnavalesco como parte da inspiração. Ele conta no que pensou para a construção do texto.

- Foi mais difícil para os compositores do que para mim. Quando fiz a sinopse, tinha em mente que não queria um samba engessado, algo construído em cima de uma sinopse que apontasse o primeiro carro, segundo carro e etc. Queria um samba livre, solto, onde o compositor pudesse trabalhar o seu lado compositor. É óbvio que todo samba-enredo é uma obra encomendada, mas a nossa encomenda deste ano foi a menor possível. Apenas pincelei coisas que passarão dentro do enredo. Lamentavelmente a disputa de samba-enredo ficou muito presa a um formato. Resolvi apostar em algo diferente. Poderia dar muito errado, mas deu muito certo. Isso abre um precedente para os próprios compositores. O samba-enredo não é só dois refrões e duas partes, existem muitas outras coisas que podem compor um samba.

Diz o ditado que em time que está ganhando não se mexe, mas Paulo diz que não sabe se seguirá o mesmo modelo nas próximas sinopses que fizer. Para o carnavalesco, cada momento é diferente. Ele revela também um envolvimento quase espiritual entre este enredo e a Portela

- Não sei te responder isso hoje. Não sei o que eu vou fazer de enredo e nem onde eu vou estar. Existem coisas que fogem um pouco da nossa vontade. Quando eu vim para a Portela, senti que ia fazer Bahia. Vim para cá pra fazer Bahia. Acabou que surgiram várias coisas, outros enredos dados como certos, mas eu nunca sentei para desenhar. Esperei porque eu sabia que não faria aquilo e a Bahia acabou vindo, foi um caminho natural. Já tinha muita coisa pensada para esse enredo.

Outra garantia dada por Paulo Menezes é a manutenção do nível requintado de suas fantasias. O carnavalesco vem se notabilizando por usar cada vez mais figurinos ao invés de fantasias com esplendores e muitas penas. Ele lembrou a apresentação das fantasias à comunidade como um dia extremamente positivo neste carnaval portelense. Segundo Paulo, a reação dos componentes da escola foi uma espécie de reconhecimento do trabalho.

Mas, para que a Portela possa brigar pelo título, é necessário capacitar todos os outros nove quesitos e julgamento. Ciente disso, Paulo Menezes fala sobre a responsabilidade da escola de desfilar com o grande samba.

- É uma faca de dois gumes. Sempre digo isso aqui: só o samba não ganha carnaval. Não podemos achar que só com um grande samba está tudo lindo e maravilhoso. Temos que brigar para colocar o carnaval na rua. Precisamos mostrar para as pessoas que temos um grande samba e um grande carnaval. Quesitos eu tenho em casa, confio em todos os quesitos que vamos levar para a Sapucaí, mas tenho que dar segurança para os profissionais transformarem a capacidade em nota máxima. Desde que cheguei na Portela tento passar isso para a direção da escola – garantiu ele.

Com o enredo 'E o povo na rua cantando. É feito uma reza, um ritual', a Portela será a segunda a desfilar no domingo de carnaval.

Com Roberto Justus e Ellen Roche, Rosas faz ensaio com cara de desfile



Foto - Raul Machado - SRZDA Sociedade Rosas de Ouro realizou na noite desta segunda-feira, 30 de janeiro, o seu segundo ensaio técnico geral no sambódromo do Anhembi.
Buscando o seu oitavo título no grupo de elite da folia paulistana, a Roseira reuniu toda a sua comunidade para simular o desfile oficial, programado para a sexta-feira de Carnaval, dia 17 de fevereiro.
Embalados pelo intérprete oficial Darlan e pela Batucada "D`Responsa" comandada pelo mestre Tornado, a escola fez um ensaio marcado pelo canto forte do samba, alas coreografadas e fantasiadas, além da participação de desfilantes ilustres.
A frente da bateria, a atriz Ellen Rocche mais uma vez foi o destaque. Usando um vestido dourado, a loira que será capa da Revista "Playboy" do mês de março, cantou o samba do início ao fim e esbanjou charme, beleza e simpatia.
Quem também marcou presença, foi o grande homenageado da escola para este Carnaval. Ao lado da esposa Ticiane Pinheiro, o empresário e publicitário Roberto Justus, desfilou na área demarcada para a quinta alegoria. Demonstrando emoção, Roberto cantou o samba e agradeceu a comunidade pelo carinho e presença no ensaio.
A presidente da Rosas de Ouro, Angelina Basílio, disse a imprensa que a união da comunidade da escola pode fazer a diferença para a conquista de mais um campeonato.
"Estamos trabalhando bastante. O nosso carnavalesco Jorge Freitas está fazendo um trabalho excepcional com nossa comunidade. Todos estão envolvidos e focados em um único objetivo que é a conquista deste título. É muito bonito chegar aqui na avenida e ver o comprometimento e a dedicação dos roseanos neste projeto Carnaval 2012."
Outro detalhe do ensaio, foi a presença de integrantes fantasiados com os figurinos que irão compor o desfile de 2012. Para a presidente, o ensaio técnico serve exatamente para treinar e fazer ajustes.
"É importante esta ação para simular exatamente situações que irão acontecer no dia do desfile oficial. A hora de testar é agora. Tudo é válido."

 Destaques da apresentação da Rosas
Além de alas teatralizadas, outra novidade da noite, foram ações publicitárias feitas durante a apresentação da escola. Nas áreas reservadas para as alegorias, a Rosas exibiu em balões, a logomarca de empresas parceiras.
O público presente também pode conferir mais um teste do carnavalesco Jorge Freitas. Foi possível sentir um aroma tropical enquanto a escola desfilava. Segundo a assessoria da entidade, o aroma natural é resultado de uma mistura que envolve frutas e ervas naturais. A atração estará em uma das alegorias.
No geral, a azul e rosa da Freguesia do Ó fez um ensaio técnicamente perfeito nos quesitos harmonia e evolução e mostrou mais uma vez, que está disposta a apagar a oitava colocação obtida no ano passado e realizar um grande Carnaval em 2012.
Na arquibancada, mais uma vez a "Torcida Furacão Azul e Rosa" levou bandeiras e efeitos especiais para saudar a Roseira.
Confira algumas imagens do ensaio

Foto - Raul Machado - SRZDFoto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD

Quadra da Vila Isabel recebe Bloco da Preta nesta quinta-feira



Foto: DivulgaçãoA quadra da Vila Isabel vai receber nesta sexta, 3 de fevereiro, a partir de 22h, o Bloco da Preta, que vai agitar o público com clássicos da MPB, axé music, funk e outros gêneros.

O tradicional bloco promete animar a noite dos torcedores, assim como arrasta milhares de foliões pela orla de Ipanema. A cantora Preta Gil expressou o prazer de se apresentar na quadra da azul e branca.

"O bloco une o tradicional ao novo, o que considero ideal, e estar no coração das maiores escolas de samba do Rio é o melhor aquecimento para o Carnaval", disse.

Os ingressos estão à venda pelo preço de R$ 20 no local ou através do site www.ingressorapido.com.br.

A quadra fica situada no Boulevard 28 de Setembro, 382, Vila Isabel.

Caprichosos agita Sapucaí com ensaio técnico nesta quinta


Foto: DivulgaçãoA Caprichosos de Pilares vai promover um ensaio técnico na Sapucaí nesta quinta-feira, 2 de fevereiro, a partir de 20h.

O evento vai mobilizar a comunidade e todos os segmentos da escola, como a comissão de frente, baianas, passistas, bateria Venenosa do mestre Alexandre e a nova rainha, Bianca Ferreira.

A agremiação de Pilares que vai desfilar com o enredo "A Caprichosos faz o seu papel... Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima", de autoria do carnavalesco Amauri Santos, será a 9ª a desfilar na terça-feira de Carnaval.

Livia Andrade recebe faixa de super musa da Inocentes e agita barracão



Foto: Divulgação
A atriz e apresentadora Livia Andrade recebeu a faixa de super musa da Inocentes de Belford Roxo no último final de semana.

Durante o vento, Livia mostrou muita simpatia e samba no pé, provando ser merecedora do cargo conquistado. Ela declarou que "veio para somar".

"Ao receber o convite da Inocentes, juntei a fome com a vontade de comer, pois queria desfilar no Carnaval Carioca. Já fui madrinha, rainha de bateria, musa, mas super musa é a primeira vez e no Rio de Janeiro. Serei a primeira super musa a pisar no novo Sambódromo", disse, orgulhosa.

Mostrando que já está entrosada com a escola, Livia visitou o barracão e brincou com os funcionários, chamando todos para subirem em um carro alegórico para acompanhá-la.

Sobre a fantasia que usará no carnaval 2012, ela disse que é "um escândalo".
Foto: Divulgação

Gabrielzinho do Irajá vence concurso de Partido Alto no Centro Cultural Cartola



Foto: DivulgaçãoGabrielzinho do Irajá saiu vencedor no concurso I Festival Partido Aldo realizado no Centro Cultural Cartola, no último domingo, 29 de janeiro.

O jovem compositor, que completou 16 anos na véspera da final do concurso, era o mais jovem entre os bambas, entre eles, Newton de Oliveira, Arnoldo Silva e Tiãozinho da Mocidade.

A mesa julgadora foi composta por Nelson Sargento, Tantinho da Mangueira e Renatinho Partideiro, entre outros convidados do evento, que contou com o apoio do IPHAN.

Gabrielzinho estava acompanhado da mãe, Gitahy, sua maior incentivadora, e já é tido com um dos novos frutos da famosa Tamarineira musical do Cacique de Ramos, que revelou grandes nomes da música brasileira.

O jovem é aluno de Renatinho Partideiro e afilhado de Bira Presidente, e ao sair campeão no concurso, encheu de orgulho a nação caciqueana.

Além de ter sido contemplado com o Troféu Xangô da Mangueira, Gabrielzinho ganhou o direito de participar do CD de Partido Alto, que será produzido pelo Centro Cultural Cartola, ao lado de nomes como Serginho Procópio, Marquinho China e Tantinho da Mangueira.

Dona Ivone Lara declara admiração por Joãosinho Trinta



Foto: Ricardo Almeida
Dona Ivone Lara, enredo do Império Serrano no Carnaval 2012, revelou sua admiração por outro ícone do mundo do samba, que morreu recentemente: Joãosinho Trinta.

Segundo a Dama do samba, o ex-carnavalesco era "extraordinário".

"Ele tinha uma liderança e uma harmonia com os seus Carnavais que me deixavam admirada e eu gostaria que ele tivesse feito pelo menos um Carnaval para o Império Serrano", confessou.

Assim como Dona Ivone Lara, o atual carnavalesco da escola da Serrinha, Mauro Quintaes, também não economizou elogios a Joãosinho.

"Com ele eu aprendi que tudo era possível, que não era para ter medo de criar e o grande diferencial dele era o estudo aprofundado para cada Carnaval realizado", disse, lembrando que teve a honra de trabalhar ao lado de J30.

O Império Serrano já realizou seu ensaio técnico na Sapucaí e vai desfilar no dia 18 de fevereiro com o enredo "Dona Ivone Lara: O enredo do meu samba".

Arlindo Cruz faz show na Império nesta quarta



Faltando menos de três semanas para a folia de 2012, a escola de samba Império de Casa Verde promove um verdadeiro grito de Carnaval na noite da próxima quarta-feira, 1 de fevereiro.
Abrindo em grande estilo o mês em que acontece "o maior espetáculo da Terra" a agremiação da Casa Verde convida toda a sua comunidade e público em geral, para o lançamento oficial de um evento que promete se tornar tradicional.
Às 21h será lançado a "Roda de Samba do Sombrinha", festa que promete ser o grande reduto dos sambistas da cidade.
Além de cantar seus sucessos, Sombrinha receberá na estréia do projeto, convidados especiais, entre eles, Arlindo Cruz Neto.
Outro convidado ilustre da noite, e que promete embalar o pré-carnaval do "Tigre Guerreiro"com o seu carisma e clássicos do samba, é o eterno parceiro de Sombinha, o compositor e cantor Arlindo Cruz.
Arlindo Cruz tem mais de 550 músicas gravadas por diversos artistas e é considerado o responsável pela proliferação do banjo no samba. Ele saiu do grupo Fundo de Quintal em 1993 e iniciou carreira solo. Logo depois fez parceria com Sombrinha e anos depois se casou e teve um filho lindo chamado Arlindo também.
Hoje em dia, Arlindo prossegue em sua consagrada carreira solo. Em 2012, ele assina o samba-enredo 2012 da Império Serrano, tradicional agremiação carioca.
Além dos inesquecíveis sucessos, canções do novo álbum, intitulado "Batuques e Romances" farão parte do repertório do show.
Os ingressos poderão ser adquiridos na portaria por de R$ 20 (homens) e R$ 15 (mulheres).
Informações e reservas de camarotes para a área vip podem ser obtidas através do telefone 2281 6400 ou 2283 0274.
Será disponibilizado estacionamento com serviço de manobrista em frente a portaria.
A quadra da Império fica na Avenida Engenheiro Caetano Alvares, 2042 na Casa Verde.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Grandes comissões de frente serão homenageadas pela São Clemente





Um setor do desfile da São Clemente em 2012 terá ares de nostalgia para quem gosta de relembrar as grandes comissões de frente do carnaval carioca. O carnavalesco Fábio Ricardo representará cinco delas durante o desfile que contará a história dos grandes musicais. A homenagem acontecerá no sétimo setor – 'O maior espetáculo da Terra' -, onde o carnavalesco aponta as comissões de frente como os grandes espetáculos do carnaval de hoje.

As comissões lembradas serão as seguintes: Imperatriz Leopoldinense 1994, Mocidade Independente de Padre Miguel 1991, Unidos da Tijuca 2010, Mangueira 2002 e São Clemente 1985. A São Clemente será a primeira escola a desfilar na segunda-feira de carnaval.

Conheça o braço direito de Laíla na Harmonia da Beija-Flor





Os maiores especialistas em palestras de gerenciamento de grandes grupos de trabalho costumam dizer que os verdadeiros líderes preocupam-se com a capacitação de seus subalternos para, um dia, terem alguém a altura para substituí-los. No carnaval, talvez o maior líder atual, Laíla, disse certa vez, de forma carinhosa, em entrevista a imprensa que não abre mão de trabalhar com um certo 'neguinho' entre os diretores de harmonia da Beija-Flor. Pois bem, fomos atrás do tal 'neguinho' no ensaio de quadra da agremiação de Nilópolis e agora você vai conhecer o homem de confiança de Laíla na harmonia da Deusa da Passarela.

Nascido em São João de Meriti, o ex-passista da Unidos da Ponte, Válber Frutuoso, começou a trabalhar em harmonia quase que por acaso. Foi na Grande Rio, no final da década de 80, quando chamado por um amigo para ajudar a tomar de conta de uma ala acabou ficando para o ano seguinte, mas a permanência na Tricolor de Caxias não foi tão simples assim.

 
Lembro que precisei passar por uma espécie de teste. Me deram a ala das baianas para ensaiar e gostaram do meu rendimento. Depois disso fiquei na escola até 1994 – disse ele.

Foi na Grande Rio que Válber Frutuoso conheceu Laíla, em 1991, durante os preparativos para o desfile da escola para o desfile do ano seguinte – 'Águas Claras para um Rei Negro' – quando a agremiação de Caxias voltou ao Grupo Especial. À época, Laíla ainda não havia assumido o comando da harmonia da Grande Rio, que era dirigida pelo compositor Candimba, fato que só ocorreu no ano seguinte.

No pré-carnaval de 1993, durante os preparativos para o grande desfile 'No mundo da lua' que a Grande Rio faria, Laíla quis saber quem era o responsável pela criação dos úteis organogramas de trabalho que a escola dispunha. Foi apresentado a Válber e desde então começaram a aproximar os laços.

Comecei a organizar uma documentação do organograma da escola, montei planilhas para o barracão com cálculo de tempo para execução das tarefas e outras coisas e também fazia esse trabalho junto com as alas. Aí o Laíla se interessou em saber quem eu era. Não consigo ficar parado e ele foi me conhecendo nos ensaios, fomos sempre trocando ideias e hoje estamos juntos na Beija-Flor.

Válber carrega no sangue o DNA de sambista. É inegável. É primo de Almir Frutuoso, diretor de harmonia da União da Ilha, filho de um dos fundadores do Cacique de Ramos e ex-mestre-sala da Mangueira, além de ser irmão do compositor e intérprete Wander Timbalada, atualmente na Unidos de Vila Santa Tereza. Perguntado o que mais aprendeu com Laíla em todos esses anos, o diretor de harmonia tem dificuldade para sintetizar.

- São várias coisas, mas o fundamental é a humildade e a perseverança. Estamos trabalhando juntos desde 1991 e ele tem uma capacidade de aglutinar grupos,uma espontaneidade e uma sinceridade impressionantes. O grande ensinamento dele é esse. A valorização do grupo, o zelo pelo próximo, a formação dos jovens. Nós sempre temos em mente a política de dar oportunidade aos jovens.

Antes de chegar na Beija-Flor, em 1995, Válber lembra de um caso que, segundo ele, resume bem a significância de Laíla para quem trabalha com ele. Pouca gente sabe, mas antes do desfile da Grande Rio de 1993, a escola encontrou muitas dificuldades para levar suas alegorias para a Avenida.

- O que me marcou muito foi o nosso primeiro ano na Grande Rio, quando desfilamos sem dormir. O nosso barracão era na Avenida Brasil, na altura da Penha, e saímos de lá na sexta-feira de noite e só  conseguimos chegar na Sapucaí no domingo de manhã. Os carros foram quebrando, problemas de eixo, um carnaval grandioso, e o que me impressionou foi a garra do Laíla em nos dar força. Eu lembro que pedi a um amigo para me levar em casa para tomar banho e tirei um cochilo dentro do carro mesmo. O abre-alas estava até com um problema, tivemos que deixá-lo embicado na Passarela para ele poder passar. Aqui na Beija-Flor, o que mais me marcou foi esse último carnaval. Demos uma guinada na escola em termos de fantasia e alegoria após uma visão do Laíla e essa vontade de mudar comprada por todos foi muito legal. O carisma do Roberto Carlos também foi algo impressionante durante o desfile.

Atualmente trabalhando na Fundação Oswaldo Cruz, o biólogo Válber mostra humildade ao não se sentir capaz para substituir Laíla em alguma eventualidade. Ele lembra que precisaria alterar completamente sua rotina para tomar conta de tudo o que o diretor de carnaval da Beija-Flor conta. Além disso, admite que ainda precisa evoluir em alguns aspectos.

- É uma coisa extremamente difícil. Não me sentiria à vontade. O carnaval hoje não é só a quadra. Em razão do meu trabalho fora do carnaval não tenho disponibilidade para estar no barracão todos os dias. Sinceramente, não sei se conseguiria desempenhar o papel dele com a mesma capacidade. É uma responsabilidade muito grande. Uma coisa é a coordenação das alas e outra é tomar conta do barracão. Lá é preciso ter percepção de muitas outras coisas. É um conjunto de coisas que eu ainda não domino plenamente. Sou muito sincero nas minhas posições e não sou do tipo que dá um passo maior do que se possa dar. Espero, do fundo do meu coração, que tão cedo não se tenha a necessidade de substituição do Laíla na Beija-Flor. Ele tem saúde e vibração muito fortes. Ainda tenho muito o que aprender com ele, assim como todos na escola – disse ele, atualmente com 47 anos.

A Beija-Flor de Laíla, Válber e toda comunidade nilopolitana será a sexta escola a desfilar no domingo de carnaval, com o enredo 'São Luís – o poema encantado do Maranhão'. A escola buscará o 13º título de sua história no Grupo Especial.

Tom Maior mostra técnica em ensaio no Anhembi



Foto - Raul Machado - SRZDA escola de samba Tom Maior, realizou na tarde deste domingo, 29 de janeiro, o seu segundo ensaio técnico geral no sambódromo do Anhembi.
Desta vez sem chuva, a comunidade vermelho e amarelo deu um show em sua apresentação e mostrou que está se preparando bem para fechar com chave de ouro os desfiles em São Paulo, uma vez que a agremiação será a sétima e última a desfilar no sábado de Carnaval, dia 18 de fevereiro.
A escola do Sumaré, que levará para a avenida o enredo "Paz na Terra e aos homens de boa vontade", fez uma verdadeira simulação do desfile oficial e pintou a passarela do samba de vermelho e amarelo.
Luciana Silva (foto), presidente da agremiação pediu garra e vibração aos componentes. Emocionada, a comandante dedicou o ensaio a memória do saudoso presidente Marko.
Marko Antonio da Silva, o Markinho, faleceu em maio do ano passado, vitimado pela leucemia.
Os desfilantes responderam ao pedido da presidente assim que o intérprete Renê Sobral deu o seu tradicional grito de guerra e a comissão de frente ultrapassou a faixa amarela.
A bateria comandada pelo mestre Carlão recebeu aplausos do público presente nas arquibancadas e mostrou que está bastante entrosada com o carro de som.
Outro setor que trabalhou bem no ensaio foi a harmonia, que conseguiu manter o canto e a evolução dos componentes do início ao fim da apresentação.

Ala das crianças é destaque
Entre os destaques do ensaio, a imprensa enaltece a ala das crianças da escola. Cerca de trinta crianças desfilaram em uma área demarcada, simulando a posição que será ocupada em uma alegoria no dia do desfile.
Segundo a diretoria da escola, ala das crianças desfilará em um carro alegório juntamente com crianças convidadas de um orfanato.

Confira algumas imagens do ensaio
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD

A difícil arte de julgar



Ah! Meu bom juiz, meu bom juiz não bata este martelo nem dê a sentença, antes de ouvir o que meu samba diz... O sucesso do inigualável Bezerra da Silva me auxilia para adentrar num campo extremamente complexo que margeia razão e emoção, como o equilibrista em cima do arame ou o bêbado que bambeia pra lá e pra cá, este campo que permeia intermináveis discussões e a sabedoria popular já eternizou em frases como: Quem sou eu pra te julgar; a justiça tarda, mas não falha; a justiça é cega, entre outras tantas frases comuns ao cotidiano popular, e eu resolvi chamar de a difícil arte de julgar.

A você senhor jurado de carnaval, a quem caberá decidir campeãs e rebaixadas, você senhor juiz que definitivamente deve torcer por alguma agremiação, pergunto: como julgar sem se deixar levar pelos mistérios do coração? Como julgar em igualdade de condições escolas com inúmeros títulos da mesma forma que recém-chegadas ao grupo principal e por fim como abstrair e esquecer milhares de torcedores que guardam calados, por anos e anos, o grito de campeã!

O grande dicionarista brasileiro Aurélio Buarque de Holanda Ferreira definiu julgar como: Formar opinião ou juízo crítico sobre; sentenciar; decidir como juiz ou árbitro... O que deixa claro a necessidade de imparcialidade no curso do resultado de tal julgamento. No universo de treze escolas do grupo especial do carnaval da cidade do Rio de Janeiro cinco não lograram serem campeãs o que torna mais difícil o papel de isenção do jurado, levando a obrigação de encarar como verdade absoluta o julgamento apenas no que se vê e no que se ouve e não no nome do grêmio julgado, nada, além disto, poderia ser justificado, passado recente, histórias de glória, grandes carnavais, não estão sendo julgados. A nota não deve remeter ao pretérito! E sim ao tempo presente e só.

Na decisão do júri deve-se evitar o pré-julgamento o qual principalmente o quesito samba enredo possa sofrer. A memória popular contem inúmeros casos de sambas desprezados, ou pouco comentados no período pré-carnavalesco, que proporcionaram grandes desfiles e até mesmo campeonatos consagradores em um passado recente.

Senhores jurados tenho 40 anos de idade, tempo que sedimentei o meu amor ao samba, me dedicando como compositor em fazer parte do maior espetáculo a céu aberto do planeta, eu tenho certeza da dificuldade de suas missões, como também a certeza que a responsabilidade deve estar acima de tudo, consciente da grandeza de suas funções eu vos peço: Não bata este martelo, nem dê a sentença antes de ouvir o que meu samba diz...

Quitéria Chagas posa pintada de petróleo em homenagem à Vila Isabel



Foto: Yuri GraneiroA musa da Vila Isabel e também madrinha de bateria da Vila Maria (SP), Quitéria Chagas, posou nua com o corpo pintado de petróleo em homenagem à azul e branca, agremiação carioca que vai desfilar pelo segundo ano consecutivo.
A morena esbanjou simpatia e beleza, além de mostrar muito samba no pé e que domina o ritmo africano Kuduro, durante o primeiro ensaio técnico da Vila Isabel no último final de semana,

O ensaio foi feito pelo fotógrafo Yuri Graneiro. Quitéria aparece pintada de ouro negro, ao lado de um diamente azul, duas das maiores riquezas de Angola, tema do enredo da Vila Isabel no Carnaval 2012.

Silenciar as torcidas, não!



E agora mais esta: proibiram as torcidas de escolas de samba de exibirem suas faixas nas arquibancadas, no dia do desfile, sob a alegação que essas faixas "poluem a transmissão de televisão"!

Mais uma vez - e cada vez mais - as escolas de samba ficam distanciadas de seus princípios e de sua realidade sócio-comunitária graças às imposições comerciais de quem gerencia de forma fria e calculista o espetáculo. A escola de samba, esse fenômeno cultural cujo nascedouro - queiram ou não os sofisticados e elitistas - é o velho e bom subúrbio carioca, vai se tornando um prato apetitoso para a burguesia que se planta diante das televisões.

Os apelos contratuais empacotam uma manifestação cultural viva e dinâmica, produzida pelo povo, para vendê-la como mercadoria espetacular à elite do primeiro mundo. Ao consumir vorazmente uma valiosa arte popular de negros, favelados, suburbanos e pobres, a elite começa a querer redesenhar a festa. É preciso que a elite se identifique um pouco mais com o espetáculo caro que compra. Ao que parece, fica feio, na telinha burguesa, aparecer um pedaço de pano com nomes que remetam a Madureira, Padre Miguel, Oswaldo Cruz, Caxias, Nilópolis, Vaz Lobo... e não a Ipanema, Leblon e Copacabana, que são os "cartões postais oficiais" da Cidade Maravilhosa. É preciso que os acadêmicos titulados da Sourbonne e os intelectuais de Cambridge passem míseros meses dentro de um barracão para publicarem seus livros de muita antropologia e nenhuma propriedade em samba para que o assunto possa ser "entendido" pelas elites que consomem escola de samba. Para eles, é preciso que as escolas de samba virem "escolas de bossa nova", reeditando a primeira manifestação musical do país que tentou embranquelar e sofisticar o samba negro e favelado para vendê-lo no exterior como uma espécie de jazz tupiniquim.

Antigamente escola de samba não podia ter patrocínio. E vimos desfiles monumentais no passado sem essa invasão que nos traz enredos sobre prefeituras, artistas extraterrestres ao samba, indústria de laticínios, chapa branca de governos e outras apelações mais. Hoje, o mantra é "ter patrocínio"! Todo mundo caminha para uma igualdade que descaracteriza as escolas de suas identidades originais.

Para ser "aceito" pelas elites, o samba precisou mudar. Saímos do deus Baco para o deus Chronos: tempo é dinheiro e tempo rege os desfiles! Bateria e samba-enredo correram, passistas passam escondidos e voando, Velha Guarda sai do chão porque "é lenta e não evolui", baianas são trocadas por dançarinas jovens de quadrilha junina, escolas precisam se colorir e desprezar suas cores fundamentais para que o visual na televisão não fique  "monótono" (?).

São tantas imposições para satisfazer o "deu$ dinheiro" que passou-se a triturar a preciosidade mais relevante dessa festa que é a escola de samba: deixar seus elementos passionais, tradicionais, seu legado cultural evoluir sem essas intromissões.

Quando surgem as torcidas organizadas de escola de samba - e a pioneira nisso chama-se Guerreiros da Águia, representante da majestosa Portela - parece que, finalmente, o espaço para o amor, a devoção, o respeito e a dedicação serão mantidos em voga, diante de nossos olhos e de nossa admiração. Essa torcida, por exemplo, militou fortemente e brigou nas ruas pela reativação da Portela, pelo renovo que todos estão vendo, pela valorização dos setores primais da escola, pela lisura na escolha de um samba que traduzisse os anseios de sua comunidade. A Guerreiros da Águia - cunhada com o temo "guerreiros" em homenagem à maior das guerreiras do samba, a diva eterna azul-e-branco chamada Clara Nunes - encheu ruas e lotou arquibancadas, em todas as frentes de ensaio e apresentação, mostrando seu amor e sua vocação em abraçar a escola. Quem conhece Marcelo Moura, Jany Monteiro, Betinha, Joseane, Glauber, Denílson, Adriana "Nana", Walter Alverca, Vinicius Rangel, Thiago Kátia Henriques, Helen Mary, Andre Marques, Claudio, Brian, Marcia Vaz, Giselle, Karine, Marcia "Fera Guerreira" sabe o que é sentimento de paixão e (mais que isso) de dedicação pela escola. Lamentavelmente, uma decisão "superior" abafa o trabalho desses e de tantos outros representantes das comunidades da escola em prol de uma argumentação inócua e equivocada como essa, de que suas faixas e bandeiras "poluem a transmissão do desfile".

Podemos, então, relacionar, algumas coisas que nós, também "consumidores" da festa, consideramos "poluentes"? A lista é boa... vamos lá!

- Comentaristas de televisão que caem de para-quedas do futebol e de outras áreas, e não entendem nada de samba, poluem os desfiles.
- Câmeras que privilegiam celebridades de novelas em detrimento dos sambistas originais poluem os desfiles.
- Bicões e celebridades embriagadas (pelo álcool ou pela fama) atravancando a harmonia poluem os desfiles.
- Logomarcas de patrocinadores estampadas toscamente em vinhetinhas eletrônicas que encobrem as imagens das escolas poluem os desfiles.
- Camarotes berrantes de patrocinador recheados de gente vulgar e oferecida, que despreza as escolas de samba, mas adora promover seus 15 minutos de fama no carnaval do sambódromo, poluem os desfiles.
- Jurados que levam envelope pra casa, desconhecem as características das escolas, pontuam bisonhamente os quesitos e apresentam justificativas de nota com argumento patético e erros gramaticais horrorosos poluem os desfiles.

Ainda precisamos dizer mais??? Assim como será feito com as bandeiras das torcidas organizadas, esses poluentes serão também ensacados e recolhidos da festa???

Ninguém aqui é teimoso nem dura cerviz para viver de passado e saudosismo, ignorando a evolução dos tempos. Mas é possível um afã de modernidade que não nos cegue para as tradições, que não nos aparte de nossas raízes, que não faça de nossas escolas de samba filhas desgarradas órfãs de si mesmas por opção, matricidas em desfile.

Fica aqui o meu manifesto de apoio a essa laboriosa gente do samba - Leões da Estácio, Torcida Organizada da Ilha, Sangue Salgueirense, Portelamor, Guerreiros da Águia, Nação Leopoldinense, Independentes da Mocidade, Guerreiros de Vila Isabel, Sou da Vila, Raiz Mangueirense, Devotos da Coroa, Familia Tijucana e outras tais, não citadas, mas não menos importantes.

Gente do chão de escola, da raça vibrante dos tamborins que não podem ser silenciados. Gente da raiz das escolas que não pode ser calada.
E que nunca - nunca, sob hipótese alguma! - poderá ser acusada de "poluir o samba"!

Disputa de poder na família de bicheiro Maninho ameaça presidente do Salgueiro, Regina Celi


Denise Ribeiro
 
Uma disputa no seio da família do falecido bicheiro Waldemir Paes Garcia, o Maninho, está pondo em risco a vida da atual presidente do Salgueiro, Regina Celi Fernandes. Na última semana, uma ligação para o Disque-Denúncia (2253-1177) informava que um pistoleiro já havia sido contratado para matar a dirigente da agremiação, que foi campeã em 2009 sob o seu comando.
As filhas gêmeas de Maninho querem voltar ao controle da Vermelho e branco, que esteve sob a tutela da família Garcia desde a década de 80. O grande problema é que a irmãs Shanna e Tamara brigam em territórios opostos pelo comando da escola de samba.
As filhas de Maninho já disputam o controle do espólio deixado pelo pai, que ainda tem como herdeiros a viúva Sabrina Harrouche Garcia e o irmão Mirinho. Antes de ser assassinado em 2004, Maninho era dono de pontos de bicho e máquinas de caça-níqueis na Zona Sul, na Tijuca, no Estácio e em Jacarepaguá. Agora, para mostrar o poder sobre a comunidade salgueirense, da qual o pai e o avô foram presidentes, as irmãs — cada uma com seu preposto — querem voltar ao Salgueiro.
Shanna tem o apoio do namorado, Rafael Alves, que é patrono da Viradouro. Do outro lado, Tamara conta com a ajuda do marido Bernardo para voltar à escola. Apesar de o pai e o avô terem sido dirigentes do Salgueiro, desde 2008, a família Garcia está afastada da escola de samba.

Eleições de 2011
No ano passado, durante a eleição para escolher o novo presidente da Vermelho e branco, o candidato de Shanna Garcia perdeu para Regina Celi Fernandes, que teve uma vitória arrasadora.
Desde meados de 2008 quando foi eleita, Regina reorganizou a escola de samba, unindo a comunidade, e acabou trazendo mais um campeonato para o Salgueiro no carnaval de 2009, depois de 16 anos de jejum.
No ensaio técnico de domingo à noite, no Sambódromo, a presidente da Vermelho e branco apareceu cercada por seguranças.

Divisão de Homicídios deve investigar o caso
Após a ligação feita para o Disque-Denúncia (2253-1177), a Divisão de Homicídios (DH) deve investigar o caso. A presidente do Salgueiro não comenta o assunto, mas desde então passou a andar escoltada por seguranças. Na última semana, Regina Celi Fernandes postou uma mensagem num site de relacionamentos:
"Meus filhos, está chegando a hora do nosso 1 ensaio técnico na avenida. Estou muito ansiosa, será uma prévia do que faremos no desfile oficial. Infelizmente, no meio do caminho, surgem fatos e pessoas para desanimar. Acham que são donos de tudo, quando não são donos de nada. E o que me dá forças para lutar contra isso é saber que a Família Salgueirense merece todo o respeito".
Regina Celi ainda citou o apoio que tem recebido de outras escolas de samba:
"Além disso, a admiração e o carinho que recebo das co-irmãs me fazem prosseguir na certeza de que estou no caminho certo. Aprendi e procuro passar aos meus filhos, tantos os 4 biológicos quanto os 3.700 que Deus me deu, que é preciso seguir, não desistir de nada. Deus está acima de tudo, é Dele o controle. Estaremos juntos, sempre. Amo vocês!", completou a presidente da Vermelho e branco.

'Bastidores 2012': Vai-Vai abre barracão para a imprensa


A imprensa continua percorrendo o universo criativo dos barracões das escolas de samba do grupo especial paulistano
de 2012.
Dando sequência a série especial de reportagens, visitamos o barracão da atual campeã da folia paulistana, a tradicional
Vai-Vai.
Maior dententora de títulos em São Paulo, a escola do Bixiga trabalha a todo o vapor para conquistar o bi-campeonato.

A imprensa esteve no barracão da escola para acompanhar de perto como estão os preparativos rumo ao Carnaval de 2012.
Pelo segundo ano consecutivo, o carnavalesco Alexandre Louzada ao lado da comissão de Carnaval, assinará o desfile da Saracura.

entrevista, Louzada revela que o enredo "Mulheres que Brilham - A força feminina no progresso social e cultural do país" fará uma homenagem à mulher em todos os segmentos.
"A mulher será retratada desde o tempo das cavernas até a conquista de sua independência. Desde a pré-história à presidência da república. As mil e uma faces que garantiram seu direito à igualdade: Zuzu Angel, Leila Diniz, Índia Paraguaçu, Chica da Silva, Dandara, Anastácia, Ana Néri, Anita Garibaldi, Chiquinha Gonzaga, são alguns nomes dessa homenagem.

Segmentos como moda, esporte, música e política estarão presentes no desfile que promete luxo e criatividade para enaltecer o protagonismo feminino ao longo da história.
O carnavalesco revela que as transformações do comportamento feminino estarão presentes nas fantasias e alegorias da escola.

"Vamos mostrar que a mulher mudou a sua maneira de ser na sociedade, exercendo papel de protagonista e decisivo no desenvolvimento social e cultural de nosso país e de todo o mundo. Mostraremos em nosso desfile que a mulher é a grande mãe de cada mudança e que ela esteve presente em cada etapa da nossa vida cotidiana."

Sobre os destaques do desfile, Louzada revela que a escola estará ainda mais bonita do que 2011. Quatro momentos que prometem causar emoção e surpresa para o público, foram contados pelo carnavalesco.
"A comissão de frente será uma grande novidade para o Carnaval de São Paulo e até mesmo na Vai-Vai. Destaco também um ala que irá mostrar um "duelo" entre a Imperatriz Leopoldina e com a Marquesa de Santos pelo amor do mesmo homem tendo também ligação com a nossa proclamação da nossa independência. Acredito muito também em encenações que serão feitas em nossas alegorias. Uma irá retratar a libertação dos escravos e outra as mil e uma faces da mulher de hoje."
Feliz na escola da Bela Vista, Alexandre Louzada agradeceu a comunidade, diretoria e fez questão de parabenizar sua equipe
de trabalho, em especial, a seu assistente André Rodrigues, que também conversou com a imprensa.

Confira a matéria na íntegra


Fique por dentro do Carnaval 2012 da Vai-Vai

Atual campeã, a Vai Vai pode escolher sua posição de desfile. A escola será a quarta agremiação a se apresentar no Anhembi,
no desfile da primeira noite, sexta-feira, dia 17 de fevereiro.
Pelo segundo ano consecurivo, a voz da Saracura será Wander Pires, um dos intérpretes mais requisitados nos concursos de samba-enredo de todo o Brasil.
O grande homenageado do ano passado, o maestro João Carlos Martins, desfilará como ritimista na bateria comandada pelo mestre Tadeu.
Além da presença de várias mulheres, agremiação levará ao sambódromo um Carnaval gandioso, com um acabamento primoroso nas
alegorias, alas coreografadas e muito luxo nos figurinos.

Império de Casa Verde: Confira imagens do barracão



Confira imagens dos bastidores da preparação das alegorias que irão compor a apresentação da escola no Anhembi:
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD
Foto - Raul Machado - SRZD

'Bastidores 2012': Império abre barracão paraa Imprensa


Foto - Raul Machado - SRZDA  imprensa continua percorrendo o universo criativo dos barracões das escolas de samba do grupo especial paulistano de 2012.
Dando sequência a série especial de reportagens, visitamos o barracão da Império de Casa Verde, na zona norte da cidade.
Décima segunda colocada em 2011, o "Tigre Guerreiro" aposta na nova direção e na força de sua comunidade para recuperar as primeiras colocações no desfile do próximo Carnaval.
Bi-campeã em 2005 e 2006, a agremiação comandada por Alexandre Furado, trouxe de volta o carnavalesco Roberto Szanieck para desenvolver a temática da visão.
O universo dos óculos, lentes e todas proteções para as nossas vistas, desde a antiguidade aos dias atuais, serão contadas na avenida através do enredo "Na ótica do meu Império o foco é você".
Em entrevista especial a imprensa, o diretor Emerson Machado, mais conhecido como Sam, integrante da comissão de Carnaval 2012, afirma que desfile terá carros grandiosos, cores, iluminação sofisticada e efeitos especiais.
"Estamos preparando um grande Carnaval. O primeiro e o quinto carro alegórico prometem chamar bastante a atenção do público. As alegorias estão grandes, glamurosas e diferentes.
Ser a segunda agremiação a desfilar, é uma novidade para a Império, no entanto, Sam esbanja confiança e diz que a escola brigará pelo campeonato. Nos últimos três anos, a "Caçula do Samba" encerrou as noites de desfiles em São Paulo.
"A Império passa por uma fase de reestruturação e muitas coisas mudaram para melhor. Estamos trabalhando muito desde o término do desfile de 2011 para realizar um desfile para brigar pelo título de igual para a igual com as nossas co-irmãs. Ser a segunda a se apresentar, é mais um desafio que temos pela frente."
Questionado sobre a presença do Tigre, símbolo da escola no desfile, Sam revela que a alegoria será de grande impacto e estará em dose dupla no Anhembi.
Teremos dois Tigres de 17 metros em nosso carro abre-alas. Este ano eles estarão diferentes dos anos anteriores. Além dos tigres, voltaremos a trazer a coroa, outro símbolo de nossa entidade.
Além de detalhar o enredo, Sam permitiu o registro de imagens dos carros em fase de acabamento e contou em primeira mão, alguns dos principais destaques que irão compor o desfile.

Veja a matéria especial:


Fique por dentro do Carnaval 2012 da Império de Casa Verde

O tema "Na ótica do meu Império o foco é você" será desenvolvido pelo renomado carnavalesco Roberto Szaniecki, profissional com passagens marcantes em agremiações do Rio de Janeiro e duas passagens bem sucedidas na Casa Verde.
Roberto foi campeão pelo Tigre em 2006 e fez parte da comissão de Carnaval em 2009, ano em que a agremiação conquistou a quinta colocação.
A Império tem como intérprete oficial Carlos Júnior, considerado pelos sambistas como um dos melhores da atualidade.
Quem fará a sua estréia pela escola, é a rainha de bateria Valeska Reis, assistente de palco do Programa "Melhor do Brasil", ap

Veja as fotos do ensaio da União da Ilha do Governador



















NOTÍCIAS POR EMAIL:

PESQUISAR